Blog


Aplicações que rendem duas vezes mais

Aplicações que rendem duas vezes mais

  04/08/2017

A verdade em números, é que a Previdência Privada, em geral entrega uma rentabilidade muito baixa e ainda cobra taxa de administração médias entre 1% e 2% ao ano, algo que pode tomar do investidor até 3 meses de rentabilidade, deixando o ano não com 12 meses, mas com aproximadamente 9 meses de rentabilidade somente. Por aí percebemos o quanto a nossa falta de conhecimento financeiro nos coloca em situações ilusórias, pois na prática, o retorno, a rentabilidade que é o que importa, é ínfima .

Podemos considerar uma exceção a esta visão, os casos em que um funcionário/executivo tem um plano de Previdência empresarial onde a empresa lhe concede um benefício depositando mensalmente o mesmo valor que o funcionário deposita, como forma de retenção e incentivo a permanência na companhia por muitos anos.

Neste caso sim, parece ser uma boa alternativa pois a rentabilidade é baixa, mas acaba dobrando com o depósito da empresa, porém na maioria dos casos o valor só poder ser resgatado após um período longo,  em geral, após 10 anos, pois este é o objetivo destas empresas, usar isto como ferramenta de retenção.

Mas exceto esta situação bem específica acima, onde pouquíssimas pessoas tem acesso, na maioria absoluta dos casos, a  Previdência é um investimento de retorno bem baixo, em geral briga com a poupança ou o FGTS, aplicações que podem até ficar abaixo da inflação, com empate ou até perda líquida descontada a inflação, dependendo da modalidade.

Sem falar no tempo mínimo de aplicação sem poder sacar o recurso, algo que deixa o investidor literalmente “amarrado” sem poder usar seu recurso em caso de necessidade.

Houve um tempo em que se aplicava em Previdência, mais pela sensação de desconhecimento de alternativas para poupar sozinho, ou mesmo por acreditar que o tal benefício na declaração de IR era algo realmente diferenciado, argumento este que não era tão real assim no momento da declaração anual para a Receita.

Mas este tempo está ficando pra trás, pois hoje os poupadores desenvolveram uma visão mais crítica, começaram a fazer conta e entender qual é a rentabilidade líquida real, avaliando se de fato vale ou não a pena Investir em Previdência, e os exemplos são cada vez mais numerosos com a mesma resposta – “não vale”.

Se este artigo faz sentido para você, acredite que há modalidades bem simples de investimento, com acompanhamento diário e online, com facilidade enorme de resgate, sem ficar “amarrado”, e o melhor, com rentabilidades bem acima do oferecido pela Previdência.

Leia também outros artigos do time Personalite Invest